Oi aumenta acessos de clientes com fibra óptica em 11,6% durante 2019

Nas capitais, fibra teve aumento de 13,1% nos acessos; Oi precisa aumentar o ritmo de conversão para não perder receitas.

 

A Oi está seguindo um plano estratégico para o triênio 2019-2021 que consiste basicamente em se transformar numa grande operadora de fibra óptica: ela terminou o ano de 2019 com aumento de 11,6% em acessos por FTTH (fiber to the home) frente aos antigos cabos metálicos.

 

As informações foram apuradas pelo Tecnoblog através da Anatel. Assim como a Vivo, a Oi usa a tecnologia FTTH para levar fibra óptica até a casa do cliente serviços de banda larga fixa com velocidades de 50 Mb/s a 200 Mb/s, TV por assinatura com tecnologia IPTV e telefonia fixa.

 

A fibra óptica deve substituir os cabos metálicos, que, através de tecnologia xDSL, entregam velocidades de até 35 Mb/s (em condições ideais).

 

Crescimento médio da Oi nas capitais é de 13%

Isolando as capitais onde a Oi atua, o crescimento da base de FTTH é de 13,1%. O município com o maior salto foi Macapá/AP, que possuía 6,2% na base de fibra e passou para 39,1%. A cidade com a maior proporção de acessos de fibra óptica na operadora é São Luís/MA (47,9%), seguida de Fortaleza/CE e Manaus/AM (ambas com 42,7%).

 

Enquanto isso, Florianópolis/SC teve o pior desempenho na proporção de acessos de fibra, encerrando o ano com 3,3% da base de banda larga e crescimento de apenas 0,9%.

 

As capitais com maior número de assinantes de banda larga da Oi são Rio de Janeiro (479 mil) e Belo Horizonte (205 mil). Nessas cidades, a presença de fibra é de 21,5% e 20,5%, respectivamente. A Oi não atua em São Paulo com serviços de telefonia fixa e banda larga por não possuir a concessão no estado, que pertence à Vivo.

 

Oi precisa converter clientes de cobre para fibra

Embora a Oi tenha alcançado um desempenho levemente superior que o da Vivo, é necessário que a operadora se esforce mais em expandir a fibra óptica para não continuar perdendo receita.

 

Esta é uma tarefa difícil: além de enfrentar um processo de recuperação judicial com dívidas a perder de vista, ela é uma concessionária com atuação no país inteiro com exceção do estado de São Paulo. A rede metálica está presente em diversos municípios pequenos, onde o investimento não tem retorno a curto ou médio prazo.

 

A rede metálica está sucateada em diversas regiões: são raros os casos de clientes que conseguem contratar as maiores velocidades usando xDSL. A Oi anuncia banda larga no par metálico de até 35 Mb/s, mas dependendo do município ou da distância do modem até a central telefônica, a operadora não consegue vender algo maior que 1 Mb/s pela falta de viabilidade técnica.

 

Se a Oi não expandir a fibra óptica num ritmo mais rápido, vai perder clientes atuais para os pequenos provedores que conseguem entregar velocidades de dezenas de megabits a um preço similar ou até menor. E os últimos resultados financeiros mostram que a maior parte da receita líquida veio de clientes residenciais.

 

Atualmente, a operadora trabalha unicamente com o plano de 200 Mb/s a R$ 99,90 mensais, já incluindo uma linha de telefone fixo com ligações ilimitadas. A banda larga de fibra óptica da Oi vem recebendo elogios, inclusive alcançando bons resultados no ranking de velocidades da Netflix.

 

A principal desvantagem do serviço da Oi é a velocidade de upload: enquanto a Vivo Fibra de 200 Mb/s possui 100 Mb/s de upload, a Oi Fibra chega no máximo a 15 Mb/s.

 

Fonte: Anatel

Confira também:

5 motivos para migrar hoje mesmo para a Internet fibra óptica

A Microtelefonia apoia o projeto Tampinha Legal

Afinal, até onde a velocidade da fibra óptica pode chegar?