Empresa de segurança dá dicas para melhorar o Wi-Fi da sua casa

Na quinta-feira, a empresa de cibersegurança ESET divulgou algumas dicas para intensificar a segurança do Wi-Fi doméstico. Acontece que, em setembro de 2019, pesquisadores da empresa descobriram 125 falhas de segurança em roteadores das marcas mais populares do mercado. 

 

Como cada roteador possui características e funcionalidades diferentes, é importante saber qual é o tipo do seu e as configurações, então é bom ter em mãos o Endereço IP do roteador e seguir as dicas da empresa.

 

Uma delas é modificar o nome de usuário e a senha padrão: as senhas e usuários dos roteadores normalmente são configuradas dentro de um padrão de fábrica, para que os usuários entrem na página de configuração e os alterem por conta própria. Se essa modificação não for feita, qualquer invasor que conseguir entrar na rede poderá acessar seu roteador apenas com a senha padrão disponível no site do fabricante. Portanto, esta etapa é essencial para a segurança da rede.

 

Usar senhas complexas também é uma boa: quando entrar no site de acesso ao seu roteador e Wi-Fi, é ideal configurá-lo com senhas complexas, com vários caracteres, incluindo letras maiúsculas, números e símbolos. De preferência, a senha não deve ter relação com o seu nome, profissão, endereço, idade, aniversário entre outros. Controlar o acesso à rede, filtrando quem se conecta na sua rede, para diminuir a possibilidade de acesso de desconhecidos, mesmo que a pessoa tenha a senha correta da sua rede.

 

Essa restrição geralmente é aplicada ao Controle de Acesso ao Meio (MAC) e existem duas maneiras de implementá-la: com a lista negra, ou seja, todos os dispositivos incluídos nesta lista não poderão acessar a rede, ou justamente com a lista de permissões, em que todos os dispositivos incluídos nesta lista poderão acessar a rede.

 

Outra dica é desativar a opção de gerenciamento remoto do roteador: embora nem sempre seja possível, é recomendável que essa configuração seja desativada para que apenas os dispositivos conectados ao roteador através de um cabo sejam capazes de alterar configurações. O objetivo disso é que, se um invasor conseguir violar a segurança da rede Wi-Fi, ele não poderá acessar essas configurações, a menos que tenha acesso físico ao roteador.

 

Por fim, configurar uma rede de convidados com sua própria senha e configurações de segurança, ajuda a evitar que invasores tenham acesso a sua rede a partir de aparelhos de terceiros que tenham se conectado à sua internet também é uma das dicas. Esse procedimento também impede que quem use sua rede se conecte com os seus aparelhos.

 

Fonte: Canaltech

Confira também:

5 motivos para migrar hoje mesmo para a Internet fibra óptica

A Microtelefonia apoia o projeto Tampinha Legal

Afinal, até onde a velocidade da fibra óptica pode chegar?